Já sofri…

Já sofri de tormento
medindo a dimensão da tua ausência!
Já te carreguei no pensamento
com a leveza própria da demência
de um ser apaixonado
a quem o amor causou uma cegueira profunda!

Já fui folha perdida nas mãos do vento
e rosa abandonada e desfolhada pelo tempo.
Sentia-me planta sem dono a todo o momento
e fazia da ilusão um passatempo…

Era a voz muda do amor
a quem ninguém conseguia escutar.
A sinfonia em ré menor
que alguém um dia tentou cantar!

Escutava as minhas lágrimas
Ouvia o som do teu sorriso
A minha alma escrevia as palavras
da saudade que eram um hino de aviso
para um coração destroçado.

Era esse o meu dia-a-dia
o meu destino que não encontrava alegria…

Um viver na sombra
de uma canção sem som
a quem o amor não queria dar outro tom!

@angela caboz
pa1