“confissões da miúda gira” – livro

Deixo-vos mais uma passagem do meu livro…. ❤

" Enquanto procuras palavras para acabar o último capítulo da nossa história, eu já fechei o livro. Eu já deixei a tua mão sozinha, e tu nem reparaste. Já me levantei do banco de jardim, onde tantas vezes trocamos juras de um amor que era suposto ser eterno.
Olha para ti agora e vais perceber que estás sozinho. O teu discurso chegou antes das palavras se soltarem da tua boca. O teu discurso mostrou-me que era tempo de partir. De enfrentar o frio da realidade e continuar a viver.
Abre os teus olhos. Pára, por momentos, de viajar. Olha-me com os olhos do teu coração. Olha para as lembranças do que sobrou de nós. Estas migalhas que ficaram espalhadas pelos caminhos das nossas vidas."

@angela caboz
"Confissões de uma miúda gira"
ISBN: 978-989-52-200-7

560485_440355969313635_1022799805_n

Silêncios

O amor não se satisfaz só com palavras. Ele ama silêncios. Aqueles silêncios que escrevem poemas sem linhas em corpos desalinhados. Silêncios que espalham roupas e arrumam desejos. Silêncios que desarrumam camas e se ajeitam em abraços apertados. Silêncios sem princípio nem fim. Silêncios sem tempo, porque o tempo é o pior inimigo do amor. O amor quer ter todo o tempo do mundo para sorrir. O amor muda a cor de qualquer sorriso. Quem nunca soltou gargalhadas de prazer nunca amou.

@angela caboz

19397093_241542713000759_1661624368807519321_n

Anda…

Quero voar
Abrir as asas e amar
Cheirar a liberdade
Pisas as suas petálas e sonhar!

Abri a porta da gaiola
Sentir o perfume
Inalar o odor da paixão
Suicidar com um abraço, este queixume
que me quer calar a emoção
fazendo-me grita com uma uma louca
nas entranhas do coração.

Voar e não pensar
Amar e não sonhar

É assim que caminho pela vida
com os pés deste sedutor
e a memória da doce sonhadora
que um dia se apaixonou pelo amor.

Não quero ser esquecida
nem sequer embrulhada numa dor
Apenas que voar
Anda, dá-me as tuas asas
e vamos juntos viajar

@angela cabozanjodemo

Ficaste

Ficaste
como se tudo em ti
fosse essa eternidade, que não pedi!

Chegaste e apagaste
as nuvens cobertas de indecisão,
desenhadas por uma mente
em constante rebelião.

Numa noite sem luar,
chamaste pela nobre lua
que caminhava para minguante.

Rasgaste-me o vestido da tristeza!
Deixaste-me ali nua,
a olhar para a tua pureza,
que me estendia os braços
adivinhando as palavras
que chegariam sem embaraços!

Transformaste em tentação
o corpo que vivia rendido à solidão.
O corpo que jazia ali, adormecido
nas linhas de um verso
por terminar.

Um coração sem sentido
que escrevia o seu passado controverso,
Esquecendo-me do presente.

O corpo que ficou iluminado
com a tua chegada
e que logo se sentiu abraçado
por uma caricia que ficou gravada
no dorso desta paixão
que eternamente será lembrada.

@angela caboz

cx

Lembras-te

(…)

Lembras-te?

Tínhamos um pacto com o tempo. Ignorávamos o relógio e apenas reconhecíamos o calendário do nosso amor.

Então, agora diz-me… Onde foi que se perdeu o amor que existia dentro de nós? Em que ruelas nos despimos desta paixão e passámos a caminhar nus e sem desejo? Quando foi que começámos a pisar as pedras geladas da calçada que nos congelou os nossos corações?

(…)

@angela caboz

Para encomendas de livros autografados por favor envie-me mensagem privada.
Envios via CTT, todos os livros levarão um dedicatória especial, um pequeno poema, uma frase ou pequeno texto.
Se quiser oferece-lo a unm amigo especial diga o nome desse amigo e a dedicatória
será para ele

18033483_670290919836663_1185013268031096097_n

” Confissões de uma miúda gira”

Viver é isso. Fazer rodar o tempo. Não deixar que os sonhos parem. Agarrar todos os momentos. Não deixar passar a vida. Amanhã, não terás a mesma oportunidade que tiveste hoje. Os momentos não se repetem e a felicidade não se adia. Os sonhos não se regem pelo relógio. Os dias no calendário da vida acontecem, sem que tenhamos que os procurar. Estamos lá porque temos que estar. O destino marca a hora e nós somos as marionetas que ele gosta de controlar.
Vive. Vive e não penses.
Sorri. Sorri e não te questiones. A razão não conhece sentimentos. Os sentimentos não têm explicação.

@angela caboz

O livro já está disponível

Blank bookcover with clipping path