De que cor são as lágrimas

blog

 

Diz-me meu amor,
de que cor são as lágrimas
que se soltam dos meus olhos verdes
e que as tuas mãos de ouro secam…

De que cor é
o desejo que os teus olhos azuis
sentem, quando viajam
por cada centímetro da minha pela morena

Nossos abraços
navegam nas cores do arco-íris
perdidos algures, por este mundo sem cores
onde os nossos corpos
se procuram e não se acham

Eu sinto
o cheiro da tua pele perfumada
Tu ouves a minha promessa de amor

Juntos recordamos uma tarde lembrada
em que fomos dois navios sem cor
ancorandos numa praia com conchas e corais
e em que nos amamos como outros tantos casais

@angela caboz

Vivia de ontens!

31

 

A vida inteira vivi de ontens! A vida inteira gritei por futuros.!
Nunca quis olhar para o presente, nem me dei ao luxo de viver o hoje. Os meus olhos sempre estiveram postos no passado. Os meus sonhos eram projectados para um futuro, que sempre julguei incerto. Não me sobrava tempo para visitar o dia que passeava ali, à minha frente. Não tinha nem vontade, nem motivação para viver.
A vida inteira pisei sonhos. Vivi nas asas das minhas ilusões. Fiz dos sonhos o relógio da vida. Eram eles que definiam os dias que iam passando e os que faltavam chegar. A minha vida eram sonhos passados e desejos sempre adiados.
É verdade vida, quem vive de sonhos, na realidade, não chega a viver.
Eu nem sequer me lembro de como foram os meus últimos anos. Foram dias passados, entre as lamentações do que perdi e a procura do que não sei se um dia chegará até mim. Não vi que cada dia que ia passando era um patamar da escada da vida, que eu teimava em não subir com medo das quedas que evita dar. Queria fugir das dores, julgando que o viver era apenas sofrimento.
O que fiz então, com o que tinha e nem reparei. Nada, absolutamente nada. Assim, realmente ninguém vive.
Perdi tanto tempo, desse tempo infinito, não vivendo. Perdi tanto tempo, que continuo uma criança tola e não realidade já sou quase uma velha. Não tenho vivências, apenas somei anos. Adicionei anos de desenganos, anos que se somaram a idade de quem não encontrou a porta para entrar nesse futuro, tão sonhado e nunca encontrado. Sonhos passados que todos os dias eram adiados. Perdi tempo a olhar para as horas, pensando que assim as poderia enganar.
Tu vida, até podias ter pena de mim e fazer com que o tempo parasse um pouco, fazer com que o tempo não passasse sempre assim tão rápido. Podias pará-lo, para que eu me equilibrasse na idade. Para que ajustasse o que penso com o que sou. Agora que sei o que é viver, tenho algumas coisas para colocar em ordem. Pequenas coisas que não fiz e que agora me fazem falta. Sabes é que o meu tempo está um pouco desajustado do teu.
Podias dar-me essa ajuda vida. Caí tantas vezes e continuo com os joelhos esfolados. Aprendi a levantar-me por mim, seja ajuda, e começo agora a ficar mais forte do que uma rocha. Por isso, tu devias dar-me essa última oportunidade de viver passados que eu própria adiei.
Eu sei que o tempo não volta ao que já foi. Eu sei que me vai dizer isso, mas eu tenho vontade de viver hoje o que ontem pensei que ainda era futuro. É esse o meu pedido, que me deixes viver.
A vida não são ontens! A vida é hoje e agora.
Essa é uma verdade nua e crua. A vida é para ser comida à mão sem qualquer formalidade. Só assim ela será uma realidade e não um desperdício. A vida é a lei do destino. Uma história onde não existem rascunhos. Tudo é uma peça de teatro sem qualquer encenação.
Escuta-me por isso vida, dá-me esse tempo de que tanto preciso para viver este amor, que chegou talvez ainda a tempo, de saciar o coração que estava com fome de amar. Deixa-me saborear cada segundo desta paixão que me fez descobrir que afinal sou um corpo com vida que ainda sente desejo.

@angela caboz

Quis ser quem não era ….

Tentei calçar os teus sapatos, convidando os teus pés para viajarem comigo pelos sonhos que tinha desenhado à medida exacta do meu coração.

Andei por ali, rondando o chão que pisavas. Ofereci-me para curar as feridas que tinhas nos pés. Quis arrancar todos espinhos que a vida te tinha plantado nos pés, julgando-me a enfermeira certa para as tuas dores já envelhecidas e com rugas feitas pelo tempo.

Quis roubar-te do teu mundo para te plantar no meu jardim. Talvez, quem sabe, perfumar-me com o cheiro das tuas rosas e deixar que a cor das minhas ilusões se espalhasse pelo teu corpo sedento de um caloroso amor.
Quis ser o teu amor, sem que tenha entendido que quem caminha neste chão que piso são só os meus pés e que os sonhos que idealizo são frutos das minhas ilusões.

Tentar calçar sapatos alheios é procurar dores em jardins proibidos. É viajar por estradas sem rumo e tentar encontrar a saída para um beco que não nos irá levar a lado nenhum.

Quis-te fazer meu, e acabei com feridas que ninguém poderá curar. Adormeci nos braços desse sonho e despertei no meio de um pesadelo.

Os sonhos tinham sido costurados à medida do meu corpo e tu eras um fato sem medida, que não queria ficar perdido no meio do meu armário. Plantei dores nessa estrada estreita e vi murcharem todas as flores que aí fui semeando.

Aprendi que não se ama quem escolhemos, mas sim quem nos tocam com tudo o que queremos.

Aprendi que não se calçam sapatos alheios e que o melhor da vida é caminhar descalço no nosso próprio caminho.

@angela caboz

Viver

 

246744_150995924969015_6687142_n

Viver
Descobrir quem sou
Num jogo de paciência
em que me mostro
mas, em que não me dou…

Saltar do sofrimento
para a cadeira, onde me perco
nas horas
em que uso o pensamento!

Abraçar o amor
que encontrei num banco do jardim
ou então,
na ave que sorri só para mim!

Descalçar
o sapato apertado da razão
que me causa tanta dor
para poder
dar asas ao amor!

Modificar o olhar
Sentir pelos olhos do sentimento
Escutar pelo silêncio da alma

(Re)descobrir-me em cada momento
(Re)viver é bom
Saber quem eu sou
Viver tem agora outro sabor
carrego o amor dentro de mim!

@angela caboz

Palavras

As palavras são como o vento.
Voam em qualquer sentido. Ao mais pequeno sopro, o seu significado pode ser invertido.
Então, tu escutas o que o outro não disse. O outro entende algo diferente do que tu estás a sentir.
Palavras boas ficam-te no coração. Frases ditas com emoção invertem a tua disposição.
Palavras más não param nos teus ouvidos. São uma tempestade a que viras as costas.
Palavras são as companheiras dos sentimentos. Sentimentos que são só teus.
Palavras com que expressas sentimentos, que irão ficar na história de outros iguais a ti.
Palavras, por vezes, difíceis de entender se o outro não as escutar no teu idioma.
Eu sei que no amor não existe idioma.
O amor sente-se na linguagem sensitiva do nosso coração.
A paixão escreve-se no corpo do outro, que se deixa amar com a nossa intensidade. Sem procurar o significado das palavras. Apenas querendo sentir a emoção dos sentimentos.
Mas, mesmo assim, as palavras são importantes, porque uma palavra mal interpretada dói mais do que uma bofetada.
Uma palavra mal entendida, acaba com o amor de uma vida. Uma palavra escondida, pode matar um amor ainda antes de ele nascer.
As palavras são nossas, os sentimentos são para repartir.
Não devemos esconder as palavras que querem gritar sentimentos que não nos deixam viver sozinhos.

@angela caboz

Se o amanhã não chegar

Se o amanhã chegar, antes de eu acordar deste sonho, lembra-me que o passado existiu.

Diz-me que já vivi e gastei todo esse tempo olhando para o lado errado da vida.

Diz-me que não sou filha da ilusão, nem sequer nasci por mero acaso.

Relembra-me que a vida não é feita de acasos e que as coincidências não existem.

Se o amanhã chegar e ainda estiveres aqui ama-me, com a mesma intensidade de ontem. Não te preocupes com o futuro, porque ontem já fui feliz nos teus braços e se futuro não chegar a vida já valeu a pena só por me ter sentido amada.

Não me deixes jamais esquecer de que troquei toda minha vida por esse abraço, que nunca terá um tempo definido. Esse abraço que nunca será passado.

Não deixes que o abraço arrefeça ou fique preenchido com um vazio de uma recordação sem nome.

E já agora, quando eu acordar deste sonho em que te amo, relembra-me qual é o teu nome. Não vá eu esquecer-me que tu és o amor com que um dia sonhei.

É porque, talvez não saibas, mas nem todos os meus sonhos se tornam realidades, e neste sonho eu amei-te tanto que até tenho receio abrir os olhos e não encontrar essa verdade.

Queria mesmo era que quando eu acordasse, tu estivesses aqui à espera de me veres despertar e de braços abertos prontos para me abraçarem.

Se o amanhã se atrasar promete-me que mesmo assim me não me deixarás de amar, como se o ontem fosse hoje e o amanhã apenas fosse uma miragem.

Não queiras nunca partir antes do tempo, por isso deixa-te ficar por aqui, enquanto o presente reina e ainda se sentem os ventos do passado.

Porque amanhã talvez o vento mude e o norte deixe de fazer sentido na tua vida. Talvez o sul me chame e eu acorde esquecida de quem fui e julgue que perdi a minha sorte.

Se amanhã acordarmos juntos é porque a vida nos fez eternos e nós lhe obedecemos em todos os momentos em que fizemos deste amor a razão do nosso sorriso.

Se o amanhã não chegar, o importante será que te amei, nem que tenha sido só em sonhos.

@angela caboz

526260_523333961039278_1665903250_n

Lembrei-me de que há sorrisos com cheiro a passado que serão lembranças coloridas no futuro; e se no final existirem (des)encontros ficará a eternidade do que vivemos, sem questionar a duração do momento.

@angela caboz

mo

Amor de mãe

Não existem melhores mãos para entregar os meus sonhos do que as mãos de quem me pariu. As mãos, que me ensinaram a amar, as mãos de quem me deu vida.

É aí no infinito desse coração que me amará para a eternidade que posso aconchegar os meus sonhos. Esse é o único coração conhece tudo o que eu sou. Para ele, eu nunca serei um desconhecido, para mim, ele sempre será um porto de abrigo.

Quem melhor me amará do quem me carregou no seu ventre, gritando aos sete ventos que ama desde sempre.

Só esse amor é verdadeiramente incondicional.

Amor de mãe não é banalidade é um sentimento de quem nos ama acima da verdade. É o amor de quem trocaria de a sua vida pela nossa, de que pediria para morrer no nosso lugar consciente de que mesmo assim nos continuaria a ajudar.

@angela caboz

Via-te na alma o peso da tua sina!Uma cruz pesada que carregavas nos ombros,mas, tinhas no teu coração a adrenalinade quem todos os dias renasce dos escombros!Podias adormecer nos braços da tristezamas, despertavas t(105)