Miúdo tonto

silhouette-3632795_960_720

 

E tu …..

O meu miúdo tonto, que vive de mãos dadas com o sonho. O homem sonhador, que procuras na vida quem te dê a mão. Um corpo marcado pelas cicatrizes de um passado. Um corpo tatuado com tantas vivências que te enchem a memória

Sabes o que desejas, só que te escondes na sombra do sonho, que sonhaste, mas que têm medo de viver, por te sentires prisioneiro de um mundo cruel, que te amarra ao passado que te tapa os horizontes do futuro.

Sabes… tu sabes que eu existo. A boneca, menina e mulher que um dia esse “Deus” que dizem que escreve o nosso destino fez cruzar no teu caminho.

Essa menina/mulher que têm no seu corpo tantas cicatrizes como tu. Essa menina/mulher que têm tantos sonhos como tu.

Essa mulher que carrega no seu peito tanta frustração, que sempre sonhou com o amor que nunca encontro. A que viveu, na sua solidão, tantos desgostos que ninguém sonhou.

Eu sei, sim eu também sei, que não posso sonhar como o teu amor. Sei e conheço todas as muralhas que nos separam. Mas, ousei viver um sonho de garota inocente. Ousei tornar-me uma mulher atrevida e fechei os olhos ao desejos do futuro. Resolvi viver apenas um dia de cada vez, sem expectativas, sem promessas, sem ilusões. Apenas um momento de cada vez.

Porque tu, meu miúdo tonto/ homem sonhador me mostraste com um só sorriso que eu podia sentir-me feliz. Fizeste-me sentir desejada, mimada e amada, que mais pode querer esta menina/mulher que tanto te deseja.

Eu…Eu sou feliz só por saber que existes. Que estás aí….que sentes o mesmo que eu sinto.

Hoje isso basta-me ….O futuro… o futuro será o que tiver que ser!

 

@angela caboz

Vê por onde andas!

bicicleta

 

Vê por onde andas! Toma cuidado com os passos que dás! Mais tarde entenderás o que agora te digo. 

Tu foste espalhando conselhos pelos meus dias. Foste deixando dicas que eu não soube escutar. Usas-te as minhas palavras para me fazeres ver que aquele não era o caminho certo para eu seguir.

Não te escutei. Não te dei ouvidos. Agora aqui estou eu, num beco sem saída. Aqui estou eu perdida na vida que sempre tem saída, mas para a qual eu não encontro a porta certa para que possa entrar. Tantas coisas que poderia ter feito e eu apenas encolhi os ombros e segui em frente, sem olhar para os lados. Só vi os caminhos sinuosos da floresta negra, onde a escuridão me foi anulando. Não reparei no colorido da alma que me poderia levar para os prados verdes do amor. 

Com o mundo inteiro à minha frente e os meus olhos arranjavam sempre desculpas para não fazer escolhas. Decidi não decidir e agora estou aqui sem saber por onde ir. Pisei todos os degraus da vida de olhos fechados, sem saber por ir. Fechei a minha intuição numa gruta escura, para que ela não me pudesse aconselhar. Ouvi os conselhos perversos da mente e tornei o meu destino diferente. 

Agora pode ser tarde. Posso já não ter tempo de limpar toda esta poeira que fui juntando e que não me deixa caminhar pelas avenidas floridas do que poderia ter sido a vida. Preciso de sacudir todo este pó, que não me deixa viver, nem morrer. Preciso definir presentes que me levem rumo a futuros.

A vida não são impasses, são escolhas conscientes. Mais do que escrever a minha vida, tenho que vive-la, antes que alguém ponha o ponto final, nesta história que tenho para viver. É tempo de me colocar entre duas virgulas que me separem o passado do futuro. É tempo de assumir quem sou e o que sinto. De viver de acordo com as leis do meu coração. 

A vida pertence-me, mas só em parte. A parte que ainda está em aberto para viver.  A parte que eu não escrevo para não perder mais tempo.  A vida grita-me para não gastar mais minutos entre dois nadas que não entendo, mas onde me escondo. 

Vou viver cada minuto que é muito tempo para viver.

 

@angela caboz