Dói-me a vida

50943299_113331669766009_8383502250252697600_n

 

Dói-me a vida!

Tenho sonhos a sangrar

Há feridas do tempo 

que moram no meu coração.

A alma anda perdida

no meio do deserto da solidão.

A vida encontrou 

faz pouco tempo

uma porta entreaberta

por onde sem querer espreitou

para aquele passado

onde tudo ficou guardado

Dói-me a vida!

Aquela que vou deixando

por viver, 

por escutar

vozes desconhecidos 

que vou encontrando

e onde me perco sem notar

que é tempo que vou gastando

Mundos contrários

50863664_1208045452693320_5798030460315500544_n

Mundos contrários

aproximaram-nos os corações!

Dois percursos imaginários

Feitos numa viagem perfeita

por todas as emoções

que nos povoam a alma!

A solidão de que ambos sofríamos

fazia de mim uma pedinte

e de ti um elegante amante.

Mundos opostos

Encobertos por desgostos.

O amor trouxe-nos o requinte

e levou-nos para lá do horizonte,

para perto d’uma realidade

onde nos despimos de segredos

e nos mostramos de verdade.

Amor distante

com cheiro de proximidade.

Um abraço que se desconhecia

Um beijo que se pedia

Um amor que nada nos exigia

Era a paixão a espalhar

o excesso de sentimento

d’ um coração que só queria amar.

O vento forte  trouxe

esta emoção de sabor diferente.

Tornou-nos tão iguais

como outros amantes desiguais.

Somos corpos de mundos diferentes

vestindo almas cruzadas

a quem a vida juntou e fez ausentes.

 

@angela caboz

Apenas uma palavra!

252543_151252524943355_7364556_n

 

Bastava-me apenas uma palavra tua e eu correria até ao fim do mundo. Sei por onde andas e conheço esse teu mundo. Imagino-te nesse paraíso, desconhecido pelos meus olhos. Mas acredita, iria de olhos fechados directamente até ao sítio onde tu dormes. Bastar-me-ia ligar o GPS da minha intuição para te encontrar em qualquer ponto deste universo. 

Seria capaz de sentir a tua respiração a quilómetros de distância. Amar é a chave para tudo alcançar e eu só espero pela tua palavra para poder começar esta viagem. Só espero que me acenes para que eu saia a correr, sem pensar em nada.

Não sei para onde iria, a tua vida é feita de roteiros por onde distribuis um pouco de ti ao mundo. Ajudas a cozinhar sonhos que são a arte de outros. Ajudas a adoçar sonhos que conquistam os olhos de quem os vê. É essa a parte de ti que entregas ao mundo. O que deixas que outros saibam sobre quem és.

No entanto eu queria viajar até ti, para poder descobrir a outra parte dos teus sonhos. Aquela em que tu alinhavas os teus sentimentos. A verdade que seguras com as costuras que o teu coração vai fazendo nos fatos que vestes e despes sem que digas que há um que é o teu preferido.

O teu coração que se parece com o meu. Também eu gosto de cozinhar a arte de amar e depois escondo-me na sombra dos meus sentimentos. Amar é a arte de cozinhar sonhos, utilizando as ervas aromáticas que dão sabor à paixão. As ervas aromáticas que crescem no nosso jardim livremente e que florescem quando o amor chega.

Bastava-me uma palavra tua e eu iria, em busca da rota da felicidade que fica no meridiano onde tu estás. Se aqui onde estou, só de te imaginar a pensar em mim, já sou feliz imagina-me nos teus braços. Seria tanta a felicidade que os sonhos pareceriam fogo-de-artifício. 

Chama-me, que eu vou. Vou sem hesitar, sigo o teu rasto sem pestanejar. Chama-me não me faças ficar aqui sem saber que rumo tomar. Não consigo aguentar este silêncio de quem sei que também me ama.

A vida é feita de decisões, não fiques aí escondido atrás das tuas emoções. Vá lá despacha-te. Grita ao mundo que me desejas. Deixa que nos chamem de loucos, eu quero viver a nossa loucura. Não penses mais, chama-me antes que eu parta por aí à tua procura.

@angela caboz

Miúdo tonto

silhouette-3632795_960_720

 

E tu …..

O meu miúdo tonto, que vive de mãos dadas com o sonho. O homem sonhador, que procuras na vida quem te dê a mão. Um corpo marcado pelas cicatrizes de um passado. Um corpo tatuado com tantas vivências que te enchem a memória

Sabes o que desejas, só que te escondes na sombra do sonho, que sonhaste, mas que têm medo de viver, por te sentires prisioneiro de um mundo cruel, que te amarra ao passado que te tapa os horizontes do futuro.

Sabes… tu sabes que eu existo. A boneca, menina e mulher que um dia esse “Deus” que dizem que escreve o nosso destino fez cruzar no teu caminho.

Essa menina/mulher que têm no seu corpo tantas cicatrizes como tu. Essa menina/mulher que têm tantos sonhos como tu.

Essa mulher que carrega no seu peito tanta frustração, que sempre sonhou com o amor que nunca encontro. A que viveu, na sua solidão, tantos desgostos que ninguém sonhou.

Eu sei, sim eu também sei, que não posso sonhar como o teu amor. Sei e conheço todas as muralhas que nos separam. Mas, ousei viver um sonho de garota inocente. Ousei tornar-me uma mulher atrevida e fechei os olhos ao desejos do futuro. Resolvi viver apenas um dia de cada vez, sem expectativas, sem promessas, sem ilusões. Apenas um momento de cada vez.

Porque tu, meu miúdo tonto/ homem sonhador me mostraste com um só sorriso que eu podia sentir-me feliz. Fizeste-me sentir desejada, mimada e amada, que mais pode querer esta menina/mulher que tanto te deseja.

Eu…Eu sou feliz só por saber que existes. Que estás aí….que sentes o mesmo que eu sinto.

Hoje isso basta-me ….O futuro… o futuro será o que tiver que ser!

 

@angela caboz

Vê por onde andas!

bicicleta

 

Vê por onde andas! Toma cuidado com os passos que dás! Mais tarde entenderás o que agora te digo. 

Tu foste espalhando conselhos pelos meus dias. Foste deixando dicas que eu não soube escutar. Usas-te as minhas palavras para me fazeres ver que aquele não era o caminho certo para eu seguir.

Não te escutei. Não te dei ouvidos. Agora aqui estou eu, num beco sem saída. Aqui estou eu perdida na vida que sempre tem saída, mas para a qual eu não encontro a porta certa para que possa entrar. Tantas coisas que poderia ter feito e eu apenas encolhi os ombros e segui em frente, sem olhar para os lados. Só vi os caminhos sinuosos da floresta negra, onde a escuridão me foi anulando. Não reparei no colorido da alma que me poderia levar para os prados verdes do amor. 

Com o mundo inteiro à minha frente e os meus olhos arranjavam sempre desculpas para não fazer escolhas. Decidi não decidir e agora estou aqui sem saber por onde ir. Pisei todos os degraus da vida de olhos fechados, sem saber por ir. Fechei a minha intuição numa gruta escura, para que ela não me pudesse aconselhar. Ouvi os conselhos perversos da mente e tornei o meu destino diferente. 

Agora pode ser tarde. Posso já não ter tempo de limpar toda esta poeira que fui juntando e que não me deixa caminhar pelas avenidas floridas do que poderia ter sido a vida. Preciso de sacudir todo este pó, que não me deixa viver, nem morrer. Preciso definir presentes que me levem rumo a futuros.

A vida não são impasses, são escolhas conscientes. Mais do que escrever a minha vida, tenho que vive-la, antes que alguém ponha o ponto final, nesta história que tenho para viver. É tempo de me colocar entre duas virgulas que me separem o passado do futuro. É tempo de assumir quem sou e o que sinto. De viver de acordo com as leis do meu coração. 

A vida pertence-me, mas só em parte. A parte que ainda está em aberto para viver.  A parte que eu não escrevo para não perder mais tempo.  A vida grita-me para não gastar mais minutos entre dois nadas que não entendo, mas onde me escondo. 

Vou viver cada minuto que é muito tempo para viver.

 

@angela caboz