Não tenho tempo para o passado.

13892341_1149134198479098_2984229852855849956_n

 

Hoje acordei com medo do passado. Medo de que ele volte. Medo que ele venha desarrumar as memórias que eu fui arquivando. Sabes, eu não quero lá voltar. Não quero voltar as viver as emoções que já deixaram marcas em mim. Foram momentos que me moldaram e fizeram de mim tudo o que hoje sou.

Sim, é verdade, se não fosse o passado não seria quem sou. Só que o lugar dele é lá mesmo, no passado. Aquele tempo para o qual não existe caminho.

E, hoje tenho tantos outros planos para a minha vida. Já não tenho tempo para o passado. Não posso despir-me desta pele que o tempo vestiu na minha alma, para voltar ao que um dia já fui. Verdade seja dita, o tempo não volta e eu já não sou quem era.

Terá sido só mais um sonho. Ou até talvez, um pesadelo. Um fantasma do passado a tentar assustar-me. Uma lembrança a espreitar pela janela do meu coração. Uma recordação que ainda está fresca. Tantas coisas, mas a realidade é que já não há, em mim, espaço para o passado.

As lembranças não se pagam. Eu, sei bem disso. São tatuagens que ficam na nossa alma. Cicatrizes de dores que o coração com o tempo cura. Saudades que sempre nos irão perfumar os sonhos, em alguns momentos da nossa vida. Mas, tudo isso ficou perdido no tempo. São momentos que não têm asas para voar. Nem têm pés para caminhar. São estátuas que vamos deixando nesta estrada da vida. Sorrisos com que nos vestimos nos instantes em fomos felizes. Lágrimas que lavaram o sofrimento de quem viveu tanto contratempo.

Hoje acordei com medo de ter saudades do passado, porque tenho que continuar o meu caminho. Tenho que viver e não me posso atrasar. É urgente caminhar, rumo ao futuro. É lá que te vou encontrar. O passado será sempre um companheiro amigo que vou lembrar. Mas, acordei nostálgica e estava cansada, e saudade decidiu visitar-me. Ela é a distância que não me permite tocar em tudo o que já vivi.

No entanto, estou consciente de que terei de deixar para trás tudo o que já não me completa. Deixar para trás o que julguei ser à minha medida e que o tempo me mostrou que já não me servia. O que procurei, para me completar e que se mostrou um sentimento incompleto. O vestido que alguém me emprestou e que a vida sempre me disse que não me servia.

E, foram as palavras da vida que me fizeram acordar e procurar algo de novo para me vestir. É urgente cobrir esta alma com o calor de um sentimento. É urgente vestir este coração com um sentimento que lhe dê calor. É preciso aquecer este corpo que sente o frio da solidão na sua pele.

Deixarei para trás todo o passado a que me agarrei durante tanto tempo. Terei que arquivar as marcas de um sentimento que nunca foi meu. De um amor que na realidade nunca me pertenceu. Esse sentimento a que me fui agarrando por medo da solidão. A solidão em que me escondia para não dar ouvidos ao coração. Uma cegueira que me foi acompanhando nesta travessia sem rumo que escolhi fazer. Rios de lágrimas que temei em verter por uma história que, percebo agora, não é minha.

A vida cansou-se de me deixar avisos. De me dar conselhos, só que a cegueira era total e eu nada via. Então, ela resolveu agir. Colocou no meu caminho novos sentimentos, era urgente eu olhar para a minha existência. Era urgente eu viver a minha vida. Olhar de frente para os sentimentos do meu coração. Dar ouvidos à minha alma que estava cansada de sofrer. Deixar de ter medo do passado e sorrir para o futuro.

 

@angela caboz

Felicidade é sentir a tua falta.

66199275_10217073312598468_1113017113783566336_n

 

Felicidade também é sentir a tua falta.

É nos momentos em que sinto a tua falta que percebo o quanto já fui muito feliz nos teus braços. É aí que me lembro de tudo o que já vivemos, nos momentos em que nem tivemos tempo para pensar. É quando me dás uns momentos sem ti, que entendo que a felicidade não existe sem ti.

Felicidade é saber que a saudade é somente a memória dos nossos corpos perdidos no espaço de um abraço que nos faz viajar. Que seria de nós dois sem esta saudade que temos um do outro. Só por isso, vale a pena estar longe de ti por uma hora. Para poder sentir esta saudade louca de voltar para os teus braços. Vale a pena sentir saudade e perder-me nesta inquietação de não sentir o teu perfume impregnado na minha pele. Posso não te ter a meu lado a toda a hora, mas tu vives na minha pele. Ela tem o teu cheiro desenhado na sua textura, por isso quando me toco, sinto-te em mim.

Felicidade é isso, é estares até quando não estás. Sentir-me amada com a tua falta, que me diz que esta saudade é a prova de que o nosso amor existe.

Hoje, posso dizer-te que entre sentir saudades tuas e nunca te ter encontrado mil vezes prefiro ser atormentada pela memória do nosso amor e de tudo o que ele nos trouxe. Para que queria eu a solidão de não te ter se posso viver com a recordação da nossa paixão que me alimenta o corpo e o coração.

Que faria eu perdida no mundo se não fosse para te ter encontrado nos meus braços. Só assim encontrei a felicidade que me vestiu a alma e me desenhou este sorriso nos lábios.

Felicidade é sentir a tua falta e saber que se esticar os meus braços te encontro e me sinto amada. 

@angela caboz

Cada palavra é um mistério

20882388_1500604806649888_292529442746516282_n

 

Cada palavra é um mistério. Um sentimento que nela se envolve. Um segredo que dela não se quer libertar. Cada palavra tem a intensidade que lhe quisermos dar. É a medida do que sentimos e não a conseguimos ignorar.

Cada palavra que soltamos promove a emoção que com ela revelamos. Juntamos palavras. Adicionamos-lhe frases compostas com momentos vividos e fazendo com elas a história das nossas vidas.

Não há palavras iguais. Cada palavra tem um significado que é só dela. Cada palavras que soltamos encaixa-se num breve momento que vivemos dando origem a uma nova história. Um emaranhado de emoções para que só os sábios procuram um significado. Para nós simples mortais, será apenas mais algumas palavras com que agradecemos a quem amamos.

Uma palavra diferente para uma vida que nunca mais será igual.

As palavras são as estrelas da minha vida. São o sol dos meus dias e luar das minhas noites. São abraços que me confortam no desgosto e sorrisos que solto quando o destino me estende a mão.

As palavras serão tudo o que restará de mim quando o corpo já tiver partido e a alma insistir em ficar. As palavras serão o rosto de quem as escreveu. As lágrimas sofridas que naquele rosto deslizam contando as histórias que por ali passaram.

Serão também o fantasma sem medo de um passado que não guarda segredo. O fantasma que me assombra com o sofrimento que faz sombra ao meu viver.

As palavras, com que irei contar, que nunca deixarei de te amar.

Um dia o sol despertará e irei descobrir que adormeci nos teus braços. Que aquele abraço durou uma eternidade e que ficará para sempre fora do tempo. Será a certeza de que só o tempo me fez encontrar o amor, que eu procurava. 

@angela caboz               

Os amores não acabam

12963452_1580877142225306_4960232314683822663_n

 

Os amores não acabam. Eles separam-se, escolhem atalhos diferentes na estrada da vida. Seguem rumos diferentes, mas haverá sempre uma história que lhes pertence. Há momentos vividos que não se apagam. Há lembranças que não se limpam. Os amores são mais do que poeira, que por instantes nos impediram de ver a realidade do mundo. Amores são linhas invisíveis que nos mostram o rumo das nossas vidas. Sem eles teríamos andado às cegas nesta caminhada divina.

Podemos escrever tudo o que o coração nos ditar. Podemos gritar todas as revoltas que a razão invoca para nos calar o sentimento. Tudo isso será pouco, porque nunca diremos tudo sobre um amor. Nem mesmo quando ele acaba se esgotam as histórias desse amor. Nem mesmo depois do adeus entre dois corpos que já se amaram. Esses dois corpos que já se confundiram entre si, quando se entregaram à complexidade do sexo, fazendo com que a mente e o coração ficassem confusos com a intensidade das emoções que cada um deles sentia.

Depois desse adeus a vida nunca mais será igual. O tempo voará à nossa frente, mas muitas serão as vezes em que o coração recua no tempo para vasculhar detalhes que na altura não teve tempo para memorizar. A memória do passado irá aos poucos despedir-se dos segredos que a paixão guardou. Segredos que seguiram a paixão nas teias do desejo que saciava os seus corpos. O espelho do tempo onde os apaixonados se miravam após cada uma das muitas noites tórridas de amor em que se perderam e se encontraram um no outro.

É precisamente nesses momentos em que foram felizes que a memória sempre encontrará apoio para continuar a encontrar coisas que podem parecer banais mas que não deixam que o amor acabe.

Quem já amou, nunca esquecerá quem o fez feliz. Quem foi feliz sempre procurará o perfume de quem já amou.

@angela caboz

Tens saudades minhas?

67935596_647767048962382_1038325807145025536_n

 

Tens saudades minhas? É isso que o teu amor tem para dizer ao meu coração?

Então, diz-me. Porque te escondes por entre as teias da saudade? Para que dás asas ao tempo, para que eu não me lembre de ti?

Partes e fechas a porta atrás de ti. Não deixas que eu corra na tua direção. Não deixas rasto na estrada, para que eu te possa seguir. Não fazes sinais de fumo para que eu descubra onde estás.

Tens saudades minhas?

Então, porque não viras as costas ao mundo, que não te faz sorrir, para vires ao meu encontro? Deixa esse mundo que te prende e não te faz feliz. Deixa de viver amarrado ao tempo que não te permite voares.

Amar não é ter saudades. Amar é suicidar as saudades. Rasgar as lembranças. Apagar as memórias. Amar é pintar desejo na pele de quem amamos. É não dar espaço a outras opções. Amar é viver para o amor.

Se tens saudades minhas, não fiques aí a olhar para a minha foto. Ela é apenas uma tela com a minha imagem. Vem provar o sabor desse sorriso, que te aviva a memória de cada vez que olhas para a foto. Vem perder-te nos braços que estão esticados na tua direção. Não deixes que eles se esqueçam da dimensão do nosso abraço.

Faz o sonho acontecer. Enterra os fantasmas no jardim da tristeza. Vem ter comigo. Eu digo-te ao ouvido como podemos acabar com as tuas saudades.

Sim, eu digo-te, mas é segredo. Só pode ser dito ao ouvido. Vem, vamos acabar com as tuas saudades. Vamos viver as nossas realidades.

Sou tua. Ama-me. Sacia o teu desejo de mim. Alimenta-te desse amor que transborda de ti. Serei tua. A tua companheira nessa paixão que te atacou como se fosse uma tempestade. Serei capaz de morrer por ti. De morrer de amor por ti. O amor é isso mesmo. Ser capaz de morrer, só para não te perder.

Sou tua. O amor é tudo o que temos. É esta fome de que sofremos. A minha vida é o sonho de a partilhar contigo. O desejo de que me aqueças nos dias frios e me arrefeças nas noites escaldantes. Sou tua. Sou o vento forte que sopra sobre as tuas emoções. A brisa que te gela o corpo e que te faz implorar pelo calor da minha pele.

Sim, eu sou a eterna tempestade que te atormenta. Sou como que um vulcão. Tudo em mim é mau tempo. A minha alma é um mar revolto, onde as ondas da paixão são o único alimento deste corpo.

E eu estou grávida do amor que sinto crescer dentro de mim, este furação que chama pelas tuas mãos. É como dar vida a um desejo, que faz bater o teu coração a esse ritmo tão acelerado. Uma paixão que tu não sabes calar e que eu só quero aproveitar.

Tens saudades minhas? Então, porque esperas? Pára de olhar para a foto. Ganha coragem e viaja até aos meus braços.

@angela caboz

Sinto-te chegar

47058562_964638133723393_7448076712694251520_n

 

Sinto-te chegar, enquanto as horas fogem de mim. 

Sinto-te chegar para contrariar o tempo que não nos ajuda a viver o nosso amor, sem que tenhamos que estar limitados pelas horas que passam por nós aceleradas.

Ainda tenho, por vezes, dúvidas sobre onde acabar o sonho e começa a realidade. É que tudo chegou como se fosse um sonho e ainda não sei em que momento deixei de sonhar para passar a viver a realidade. Tudo parece tão perfeito que me perco nessa perfeição de te amar, sem entender o que me faltava e que agora me sobra. 

Acordei tão rápido, que não percebo onde terminou o passado e onde começou o futuro.

Acordei sem me lembrar quando deixei de chorar, para te começar a amar. 

Acordei e o teu amor era uma parte de mim como se sempre até ali tivesse vivido. Olhava à minha volta e nada me fazia sentido sem ti. Não havia antes, nem depois, havia apenas o nosso amor e a certeza de que só ele me poderia fazer feliz.

Deixei de pensar no tempo que já tinha passado e no que estaria para chegar, só tinha tempo para te amar. Não entendia como tudo tinha acontecido e também não procurava explicações.

Não te procurei e tu encontraste-me.

Não chegaste, vindo de um lugar qualquer, tu fazias parte de mim. 

Chegaste no silêncio ruidoso de quem não se faz anunciar, mas em que reparamos porque traz tudo o que nos faz falta.

Não entendo como, mas agora sei que me sinto completa. 

A cada palavra que fica por escrever à uma história que ninguém vai ler. A cada palavra que escrevemos juntos e que ninguém será capaz de entender que há um amor que só nós sabemos escutar. 

Cada pensamento nosso vive abraçado a este amor que a vida aqui fez nascer.


@angela caboz 

Vou gastando o tempo

65890235_2865677736796753_8762583214918205440_n

 

Vou gastando o tempo da minha vida a contar os minutos em que não sei por onde andas.

Sem te ter, vou ficando entretida a riscar os dias no calendário sabendo que te sonhei em cada um deles.

Tenho todo o tempo do mundo e também esta imensa saudade que me lembra que não te tenho, por mais que saiba que vives em mim.

É o tempo que me lembra que a vida continua a rodar e que hoje falta menos um dia para te ter nos  meus braços.

E não me digas que o tempo voa e que tudo nele é ilusão, porque é quando fico aqui a contá-lo que sinto a nascer esta ferida causada pela tua ausência, que me (re)lembra que estiveste nos meus sonhos em todos estes dias que já passaram por mim.

Estranha loucura, esta de sentir que o tempo que me obriga a sonhar contigo sem que eu saiba por onde andas, em todos aqueles minutos em que acordada te procuro nas ruas da minha vida.

E não penses que sofro de amor. O que me dói é somente a falta das tuas mãos que poderiam viajar pelo meu corpo.

Faltam-me as tuas palavras, sussurradas ao ouvido e que me fariam voar sem sair do lugar. É essa a maior dor de quem ama à distância, é sentir a proximidade do sentimento e a distância do toque.

Já perguntei tantas vezes à vida qual é a ponte que posso atravessar para poder chegar até ti. Ou então, qual é o comboio que me pode levar até ao teu coração, porque tenho tanto para lhe dizer. Tenho palavras, tantas palavras, que já não cabem em mim e que só tu podes decifrar.

Quero tanto encontrar esse caminho que me leva ao nosso destino, só que parece estar cada vez mais distante.

A vida bem que me poderia emprestar um avião para que a viagem fosse mais rápida. É que o tempo vai passando e eu só encontro pequenos atalhos, onde me perco a sonhar, sem que a vida deixe que eu te toque.

Falta-me tanta coisa e no entanto só sinto a tua falta.

Tudo o resto é insignificante quando comparado com a imensidão do amor que guardo para ti.

Soubesse eu onde estás e voaria sem mais demoras, ganhando algumas horas, que agora gasto com estes sonhos que nunca passarão de sonhos!

@angela caboz

Vou contar-te um segredo

Via-te na alma o peso da tua sina!Uma cruz pesada que carregavas nos ombros,mas, tinhas no teu coração a adrenalinade quem todos os dias renasce dos escombros!Podias adormecer nos braços da tristezamas, despertavas t(6)

 

Vou contar-te um segredo. Um segredo, que não é segredo.

Sabes, eu amo-te. Este é o segredo que guardo comigo há muito tempo. E eu sei, que tu sabes. Mesmo assim, teimo em fazer deste sentimento o meu segredo.

Não quero admitir o que sinto. Tenho receio de te olhar, olhos nos olhos. Tenho medo de te dizer com todas as letras que te amo. Dizer-te que tu és a minha vida. Que é este amor, que carrego no meu coração, que me ajuda a viver. Tenho medo de dizer, em que dia me apaixonei por ti. E que desde aí, aconteça o que acontecer, não mais deixarei de te amar.

Este amor entranhou-se em mim, sem pedir permissão. Espalhou-se pelo meu corpo, como se de repente a tua pele me vestisse. Como se tu fosses uma parte de mim, sem a qual o meu corpo não funciona.

Mesmo assim, tenho guardado este segredo só para mim. Não o tenho partilhado contigo. Ainda não tive coragem de te confessar o quanto de amo. Por mais que, eu saiba que basta um olhar meu, para tu leres tudo o que me vai na alma. Por mais que, eu saiba que tu já sabes, o quanto eu te amo. Só que entre o saber e a minha confissão, vai alguma distância.

E, a miúda tímida que eu sou, sempre deixou para depois essa confissão.

Fico ali ao teu lado, com o coração apertado. Com vontade de te agarrar. Escutando as tuas gargalhadas. Limpando as tuas lágrimas. Sofrendo com as tuas tristezas. Sorrindo, nos dias em espalhavas alegrias pelo mundo. Dividindo a minha vida com a tua, ao mesmo tempo que oculto este sentimento que me consume. Multiplicamos cumplicidades. Subtraímos a solidão. E, eu escondo a realidade que o meu coração sente.

E sabes, claro que tu sabes. Este sentimento veio para ficar. É um amor que não se esgota. Um sentimento sem fim. Um amor para uma vida inteira.

E foi por isso, que sempre tive receio de te confessar que te amo. Tenho medo das tuas palavras. Tenho medo dos teus sentimentos. Porque eu amo-te, mas não sei o nome do sentimento que tu tens por mim.

E, se de repente, o teu olhar me dizer que tu não me amas. Se o teu sorriso me negar o caminho da felicidade. Se o teu coração me contar a verdade. Se o teu coração me disser que não é amor o que sentes por mim.

Este sonho salta da muralha e vai por aí abaixo, até encontrar o mar onde se vai afogar. E, eu ficarei por aqui soltando as lágrimas de uma princesa abandonada.

Por isso, é que eu te amo e não te digo nada.
@angela caboz

(Re)lembrar-me …

 

65752698_112091500084482_9203836021626634240_n

 

Se me quiseres (re)lembrar não voltes ao meu lugar onde um dia me encontraste. 

Busca-me antes por aí no inesperado, onde já não existe espaço para o nosso passado.

 Não caías no erro de me procurares nas cinzas do que restou de tudo o que o nosso amor foi. 

Aí não me irás (re)encontrar.

Decidi que iria mudar! 

Depois de ti, era hora de dar outra cor à minha negra vida.

Agora, vou caminhar pelas ruas onde antes tinha medo de pisar. Resolvi inovar depois de ter escutado os gritos de uma tempestade que me arrastou para fora deste mar em que estava quase a afogar-me.

Agora, que sei que a saudade te enfrentou. Que a saudade te desenhou uma foto de quem eu era, para que não duvidasse de que um dia me amaste. 

Agora, não voltes ao sitio onde um dia fomos felizes, porque lá jamais me irás encontrar. Não queiras fazer duas vezes a mesma viagem. 

Na vida os amores verdadeiros só se vivem uma vez, e os (re)começos vivem longe do chão que já pisamos. 

Os (re)começos emprestam-nos asas para voarmos, de modo a evitar desculpas para desistir da viagem. 

E foi isso que eu fiz esta viagem, voei para parte incerta. Ando por aí, por onde o destino me levar e por onde o amor me chamar. 

Agora, resta-te o inesperado, onde só me encontrarás se estiveres preparado para ser outro. 

Terás que vestir outro sentir, porque a dor me tornou exigente e agora só me entrego a quem me sabe amar de olhos fechados. 

Se me quiseres (re)lembrar, lembra-te antes que tens que ser tu a mudar, porque eu continuo a mesma e por isso mesmo é que não me irás reconhecer.


@angela caboz

Gosto da chuva, sabes porquê?

chuva.png

 

Gosto da chuva, sabes porquê?

Porque ela serve de sombra às minhas lágrimas. Quando ando à chuva, tu não vês que choro. Ficas a pensar que não passo de uma menina traquina, que gosta de se molhar. A menina que não cresceu e continua a gostar de andar à chuva.

Por isso, é que fico ali, de vestido molhado, colado ao meu corpo. Rosto lavado, de mágoas que ninguém vê. Caminho com meu andar seguro, debaixo daquela intempérie. Faço-me de forte. Enfrento a forte chuvada que me lava a alma. E é de alma lavada, que choro as minhas tristezas enganando quem me vê e julga-me tola por andar ali brincando com a chuva. É desta forma que engano aquele meio mundo, que não conhece a verdade da minha vida.

Até passa por mim, um velhote simpático, que me oferece o seu guarda-chuva, para que não me molhe mais. Para que não fique constipada, diz ele amavelmente. E eu, com um sorriso lavado, que engana qualquer um, agradeço-lhe e digo, que aquela chuva não me molha. Que aquela chuva vai purificar-me. E então, é ele que sorri. Sorri e continua o seu caminho. Deve achar que sou mesmo louca. Que sou uma tonta, que gosta de andar à chuva.

Ele não sabe é que o que me deixa louca é esta tristeza que carrego comigo. Esta tristeza que só consigo esconder no meio da chuva. Sob esta capa feita de gotas de águas, em que posso chorar sem que o mundo o saiba a razão.

A chuva continua a cair deste céu negro, que combina com a minha vida. Eu pergunto-me, se esta chuva não será a mãe das minhas lágrimas. Se esta chuva não será irmã da minha tristeza. Por isso abro os braços e abraço a chuva e sinto-me confortada na minha dor. Sim, este abraço da chuva é um colo para as minhas dores.

Agora, que já sabes porque gosto da chuva, não me julgues da próxima vez que me vires a dançar a serenata das minhas tristezas. Poderás, isso sim, dançar comigo até que a tempestade amaine. Quem sabe se não serás tu a Primavera pela qual o Inverno há tanto tempo espera.

Anda, vamos dançar os dois à chuva!

@angela caboz