Espero-te ….

86669080_2372691856164247_1646000418955722752_n

 

Lembraste daquele dia em que me vieste dizer adeus, no intervalo de algumas lágrimas que tentavas segurar para eu não as ver a soltarem-se de ti. Foi nesse dia que eu descobri que te amava para lá do tempo que a vida me estava a emprestar.
Foi nesse dia que consegui perceber a dimensão do meu amor por ti. E é verdade que partiste, mas nunca sairás do meu coração.
Podes voltar passados dez anos e eu vou pensar que apenas tinhas saído um pouco, para comprar tabaco. Terei passado todo esse tempo a sonhar com o exacto segundo em que vais voltar a abrir aquela porta gritando “amor cheguei”. E de seguida, sei que me vou levantar deste sofá onde fiquei a ler um dos meus livros preferidos e vou a correr para os teus braços.
Jamais poderei esquecer o som da tua voz, aquela voz rouca que tantas vezes me repetiu a palavra “amo-te”. Então sorrirás para mim e perceberás que continuo a cantar a nossa canção preferida. Os anos terão passado mas o nosso amor continua igual. Nada em nós terá mudado.
Amei-te tanto que no dia que partiste percebei que te tinha começado a amar e então passei a contar as horas que me faltariam para que tu regressasses a casa, como se nunca tiveste partido.
Eu sei que tu vais regressar, porque no teu adeus ficou algo por contar. Aquelas lágrimas escondidas não eram choro de quem se cansou de amar. Eram lágrimas de quem parte sem ter uma explicação e por isso tu voltarás para me dar razão.
Talvez, fique um pouco revoltada no dia em que regressares, talvez tente soltar tudo o que oprimi nestes anos. Posso gritar que já te esqueci, mas serão apenas argumentos de quem quase morreu de saudades tuas, por não ter encontrado uma desculpa certa para justificar a tua partida.

@angela caboz

O amor não é passageiro

 

28577180_807309439468143_4886326399234650904_n

 

Não me parece que existam amores passageiros. Emoções voláteis, sentimentos instantâneos.
Nada existe em nós que aconteça e que de seguida possamos apagar. Não há borrachas capazes de eliminar sentimentos, nem tintas que possam ocultar recordações de momentos que vivemos.
Somos feitos de vivências. De instantes em que partilhamos com outros emoções que nos são comuns. Momentos em que dividimos o nosso desejo com outros desejos que nos procuraram e a quem nós emprestamos os nossos sentimentos.
Não parece que estes voos pelo mundo dos sonhos e pelas estradas da realidade se possam dissipar no ar que respiramos. Que depois possamos afirmar que nada sentimos. Que nada se passou.
A verdade é que em nós ficaram migalhas de tantas alegrias. Alguns pedaços de tristezas. Retalhos de sonhos que ainda queremos viver. Aquela parte de uma tela, chamada vida, que ainda não está concluída.
Portanto nada é passageiro. Haverá sempre em nós os vapores que se vão libertado do tempo que vamos vivendo e que nos acompanham juntamente com as lembranças que ninguém apagará das nossas vidas.
Ninguém rouba recordações. Ninguém queima amores. Ninguém anula sentimentos. Fomos o que fomos no passado e esse é o reflexo da nossa imagem no presente.

@angela caboz