Vai …

portrait of woman wearing multicolored blouse and beige hat
Photo by Gustavo Almeida on Pexels.com

 

Podias, muito bem, ter partido sem mas explicações porque já tinha compreendido que nunca estiveras ali de alma e coração.

Eu tinha estado sempre sozinha, naqueles meses em que nem os sonhos me faziam companhia. Tinha deixado tudo para trás, até mesmo os meus sonhos, para te poder amar e agora estava ali a chorar. Estava a gastar as minhas últimas lágrimas por alguém que não me merece.

Fica aí, deixa-te ficar na tua história.

Não me digas que voltaste para o teu passado, porque não existe comboio que nos leve de volta para esse tempo e não há porta para que aí possas entrar de novo.

Não te desculpes com o passado, nem digas que apenas vieste espreitar no meu jardim, para te relembrares de como era bom viver com emoções, é que elas um dia podem te fazer falta e nesse passado não as vais encontrar, aí vais apenas ficar amarrado.

Sabes ninguém procura outro telhado se a sua casa for confortável e tu sentias no corpo o frio de não amar. Talvez tenha sido isso que te fez vir até aqui procurar-me, sem nunca teres pensado que me irias fazer sofrer ao iludires-me com este teu falso sentir. E agora como se nada tivesse acontecido queres voltar ao sitio que dizes que sempre te pertenceu.

Sabes quando o lugar onde moramos deixa de nos aquecer o coração já não há nada que nos faça voltar lá. Tu enganaste-me a mim e estás a enganar-te a ti mesmo.

Vai, podes ires embora, mas essa tua volta ao passado é uma história fora de horas, tudo porque não te irás encontrar naquela rua de onde um dia fugiste .

Hoje és outro. (Re)encontraste-te com o amor e nunca mais saberás voltar a viver na escuridão de não amar.

@angela caboz