A dor vai passar

Maria, vai ficar bem!
Ela sabe que o sofrimento não a vence e que a tristeza jamais a convence.
As lágrimas que lhe vejo neste momento são o pó da mágoa por recordar uma despedida. São a água que irá lavar cada um dos lamentos que ali se querem instalar.
É sempre desta forma que a vida nos mostra o quanto somos fortes.
É nesses momentos dolorosos, em que pensamos em baixar os braços, para nos entregarmos ao desgosto, que entendemos que há uma luz azul [ só porque quero ser diferente] que desenha ondas de esperança nos nossos sorrisos.
Nessas horas aparecem aqueles braços invisíveis, filhos de um destino em que sem sabermos como acreditamos, e do nada somos empurrados para a frente. Somos obrigados a continuar a viver esta vida que ainda têm tanto para nos surpreender.
Maria vai ficar bem, por mais que a razão lhe diga o contrário.
Ela olha para trás, para o passado que dividiu com esse de quem só lembra o nome. Procura por uma última (in)certeza que possa ter lá ficado esquecida. E de repente ouve uma voz interior que lhe grita dizendo que a sua força é maior do que a dor que um falso amor lhe ofereceu na despedida.
Ela vai ficar bem porque nada lhe compensa continuar ali a chorar, deixando que eu lhe veja o sofrimento a soltar-se dos seus olhos, quando a vida se reinventa à sua volta.
Não lhe compete a ela antecipar tudo o que está para chegar acreditando que foi feita para sofrer. Resta-lhe a gratidão de viver e aproveitar tudo o que lhe pertence, esquecendo quem quis ficar nesse passado em que foi feliz.
E agora, é o perfume dessa felicidade que vai fazer com que as memórias que estão a nascer seja algo que não quer esquecer.
Tudo vai ficar bem com Maria, porque a dor que a feriu ficou no passado em que um adeus colocou o ponto final num amor que ela queria arrastar até ao futuro.
Chorar nunca será a solução para calar aquele sofrimento que irá morrer com o tempo.
Maria voltará a sorrir e entenderá que a vida nunca lhe fecha a porta, porque sempre deixa uma janela entreaberta para que o amor possa voltar trazendo-lhe motivos para sorrir.

@angela caboz