Argumentos

Argumentos….
Desculpas…

Tudo aquilo que uso quando me olho ao espelho
e quero fugir dos meus sonhos…
Quero esquecer os sentimentos que me agarram à vida.
As palavras com que me defendo das emoções
que se libertam da minha alma, sem que as consiga controlar.

Tento apagar as marcas da razão!
Tento riscar as palavras do coração!

Talvez seja isso,
Apenas mentiras com que engano as verdades!
O discurso que a minha mente faz, mas que o coração não escuta.

Só que ….
Já não tenho argumentos.
Já esgotei todas as desculpas.
A tua alma encantou-me, entrou sem pedir nos meus dias.
Espalhou a essência das alegrias, sem bater na porta.
Entranhou sentimentos neste corpo sem defesas.

Agora, é a beleza e pureza do amor
que vejo todos os dias reflectida naquele espelho.
A “Alice” sente-se no país das maravilhas.
Dá conselhos a ela própria, mas não os segue.
O teu sentimento é mais forte, o D.Quixote venceu a batalha.

Tornei-me refém deste amor
Um amor de perdição, um amor que é a minha perdição!

Tu, és o argumento e a razão ….
A desculpa que me falta, para não te amar !

@angela caboz

972032_486610894754060_1267634047_n

“Amo-te miúdo tonto”

(…)

Ainda me lembro daquele dia. Sem que me recordar da data exacta, ou talvez a lembre mas queria guarda-la só para mim.

O vento trouxe-me notícias tuas, sussurrou no meu ouvido, que me querias conhecer. E eu mulher adormecida, confesso que não entendi de imediato o que se passava. Estava tão desabituada de sentir emoções, que aquelas palavras bateram na parede sólida do meu coração e quase não foram sentidas. Pareciam uma voz distante, que o meu coração não conseguiu decifrar de imediato.

Não fosse a tempestade do teu sentir e eu ainda continuaria aqui perdida numa rua sem qualquer saída, sem saber para que lado ficava o futuro. Pensando que aquele som apenas seria o eco distante de um fantasma que tinha decidido visitar os meus sonhos. Teria virado as costas e voltado a adormecer nos dias da minha vida, onde a monotonia não me deixava despertar

@angela caboz

In “Amo-te miúdo tonto”
ISBN:DL:411877/16 978-989-691-503-2

31

SE FOSSE O MEU ULTIMO DIA

 

91efa6a4375f4d3c94f56c958acd53c3

Se hoje fosse o último dia da minha vida
Gastaria cada segundo para te dizer
O quanto te amo, o quanto és especial
Perdia-me no calor dos teus beijos, que me tiram a respiração
Satisfazia os meus últimos desejos, escutando a voz do teu coração

Se hoje fosse o meu último dia
Dizia-te que o dia mais feliz da minha vida
Foi o dia em que os nossos destinos se cruzaram

Dizia-te que foste tu
Sim foste tu, que com o teu amor
Desviaste aquela nuvem negra, que sempre me acompanhava
Foste tu que me mostraste que o sol brilha até no Inverno

Foi em ti que descobri, a magia dos sentimentos
Foste tu que secaste a fonte dos meus lamentos
Trouxeste contigo a Primavera, que me perfumou com a tua paixão

Por tudo isto, se hoje fosse o último dia
O meu último grito seria para ti
O meu último suspiro seria por ti

E para ti guardaria a minha última palavra….
AMO-TE …. Porque tu foste a luz da minha vida !!!

O TEMPO

O tempo não precisa de relógio
O amor dispensa o calendário
As horas são apenas um refúgio
Para quem entende tudo ao contrário
O tempo passa sozinho
Ninguém precisa de o acompanhar
Ele nem sequer tem um ninho
Porque o mundo é o seu lugar
Faz de nós tudo o que ele quer
E nós não sabemos o que fazer com ele
Transporta-nos sem perguntar sequer
Num espaço que é todo dele
Sonhamos com o tempo para amar
Perdemos dias a procurar esse momento
Ficamos sem tempo para namorar
As horas não entendem o nosso sentimento
O tempo vale-se da sua magia
Usa o truque dos anos
Para nos iludir com a sua fantasia
E nós tão tolos, não vemos esses enganos
Mas ele, passa o tempo sozinho

UMA PARTÍCULA IGNORADA

Acordei de mais um sonho
Descobri que afinal não sou nada
Neste meu viver tristonho
Em que pela sorte foi abandonada
Onde convivo com a loucura
Entregando-me à promessa da eternidade
Faço da vida mais do que uma aventura
Porque sei que será sempre tarde
No sonho …corria descalça
Pelas margens de um rio
Gritava pela felicidade que ninguém alcança
Mas ao despertar senti o frio
Reparei que a luz se apagou
Que as estrelas foram dormir
Nada mais do que eu era restou
Tudo o que foi meu deixou de existir
Tornei-me uma gota insignificante
De uma partícula ignorada
Sou apenas memoria itinerante
Uma história que um dia será contada

UMA PARTÍCULA IGNORADA

Acordei de mais um sonho
Descobri que afinal não sou nada
Neste meu viver tristonho
Em que pela sorte foi abandonada
Onde convivo com a loucura
Entregando-me à promessa da eternidade
Faço da vida mais do que uma aventura
Porque sei que será sempre tarde
No sonho …corria descalça
Pelas margens de um rio
Gritava pela felicidade que ninguém alcança
Mas ao despertar senti o frio
Reparei que a luz se apagou
Que as estrelas foram dormir
Nada mais do que eu era restou
Tudo o que foi meu deixou de existir
Tornei-me uma gota insignificante
De uma partícula ignorada
Sou apenas memoria itinerante
Uma história que um dia será contada